quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Vento da Liberdade


Por correr entre os campos
Por sentir entre os campos

Campos de gramas verdes e flores nascentes
Vento por entre flores
Brisas por entre gramas

A liberdade de sentir e de ser
Contato com o horizonte no infinito
Contato com o infinito que pousam as estrelas
Olhar para traz encontrar a lua nascendo e a frente o sol adormecendo.

Noite chega
O vento e a brisa se acalma
Flores se fecham e gramas adormecem

Adormeço na liberdade de sentir a noite chegando
Amanheço na liberdade de um dia acordando

Luz clara
Folhas com orvalho
A natureza em liberdade

Pássaros voando
Borboletas dançando
E minha alma cantando

Liberdade...
Como vento.. sem rumo e sem direção
Como brisa.. sem murmuro e lamentação

Liberdade em toda a direção
Vento da alma é a respiração
Liberdade da alma é a libertação

Cris Ayres

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Cecília Meireles e A Arte de Ser Feliz com uma receita de Jasmim


A Arte de Ser Feliz
Houve um tempo em que a minha janela se abria para um chalé.
Na ponta do chalé brilhava um grande ôvo de louça azul.
Nesse ôvo cotumava pousar um pombo branco.
Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma côr do ôvo de louça, o pombo parecia pousado no ar.
Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa, e sentia-me completamente feliz.
Houve um tempo em que a minha janela dava para um canal.
No canal oscilava um barco.
 Um barco carregado de flôres.
Para onde iam as flôres? quem as comprava? em que jarra, em que sala, diante de quem brilhariam, na sua breve existência? E que mãos as tinham criado? E que pessoas iam sorrir de alegria ao recebê-las?
Eu não era mais criança, porém minha alma ficava completamente feliz.
Houve um tempo em que minha janela se abria para um terreiro, onde uma vasta mangueira alargava sua copa redonda.
À sombra da árvore, numa esteira, passava quase todo o dia sentada uma mulher, cercada de crianças.
E contava histórias.
Eu não a podia ouvir, da altura da janela; e mesmo que a ouvisse, não a entenderia, porque isso foi muito longe, num idioma difícil.
Mas as crianças tinham tal expressão no rosto, e às vêzes faziam com as mãos arabescos tão compreensíveis, que eu participava do auditório, imaginava os assuntos e suas peripécias e me sentia completamente feliz.
Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um jardim quase seco.
Era numa época de estiagem, da terra esfarelada,e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre homem com um balde,e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sôbre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espêssas.
Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam o muro.
Gatos que abrem e fechamos olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho no ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Às vezes, um galo canta. Às vezes, um avião passa.
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
Eu me sinto completamente feliz.
Mas quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.
Cecilia Meireles



Hoje a receita é simples, assim como é simples ser feliz!

Ser feliz é conseguir olhar para dentro de si com os olhos bem fechados.
É sentir as batidas do coração alimentando a alma.
A alma por sua vez, silenciosamente entendendo seu propósito, levando o corpo para o caminho infinito e aberto.

Manter olhos fechados, sentir paz incessante, atravessar o rio da vida com calma.
Ser ancião de si próprio
Entender a alma do próximo, sem julgar.
Observar a vida sem questionar

A Felicidade é como flores de jasmim, vem como um botão, vai se abrindo no tempo certo, sem pressa sem ansiedade.
Desperta seu aroma e assim vai contagiando todos que passam.
Ela vai se fechando, muda coloração, esta partindo...

Deixa seu pólen
Semeou a vida
E uma parte dela continuará

Ela não morre.
Ela revive e renasce.
Sua matéria renova
Seu aroma como alma é sutil, vai embora...
Permanece na memória de quem pode sentir seu aroma.

A felicidade, assim como a flor, renasce em outras formas e outros jardins, semeando e aromatizando.
Cris Ayres

Jasmim na cozinha

Chá de Jasmim com Manga - Homenagem a Arte de ser Feliz!

500ml de água fervente
7 flores de jarmim (flor miúda e branca) ou comprar o chá pronto.
1 colher de café de Manga picadinha

Não adoçar.

Coloque a manga no fundo da xícara e despeje lentamente o chá.
Sirva em um xícara de porcelana

Se quiser, pode retirar a manga. Agora se você tem uma mangueira em casa pode fazer um chá da tarde charmoso e degustar em baixo de sua sombra.

Arroz doce com Jasmim

1 xícara de arroz bem lavado
250ml de leite de coco
1 xícara de café de açúcar demerara
500ml de chá de jasmim.
2 Canelas em pau
7 Cravos
3 Cardamomos

Cozinhe o arroz com o chá de jasmim, canela em pau, cravo, cardamomo e açúcar.
Após desligar o fogo despeje o leite de coco
Se quiser pode acrescentar coco ralado fresco

Sirva em um xícara de chá decorada com uma flor de jasmim.

Curiosidade

Originário do Irã, o nome do jasmim (em Persa) quer dizer "felicidade celestial", e ele capturou a imaginação dos poetas e perfumistas ao longo dos milênios.
O jasmim também é conhecido como o senhor da noite e como "luar da floresta", porque seu aroma sedutor se intensifica nas horas noturnas.
O aroma do jasmim: uma fragrância caracteristicamente rica, quente e floral, doce e exótica, com um leve tom subjacente de frutas e chá
Dizem que o jasmim evita briga, harmoniza e purifica ambientes, traz estado de alegria, ajuda no discernimento e eleva a alma..
O chá da planta é antidepressivo, estimula a sensibilidade, alivia tensões musculares é rejuvenescedor, entre outras propriedades.

Nos rituais hindus, o jasmim simboliza amor e felicidade.

Um brinde a felicidade!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Amar por Drummond e uma receita de um jantar para o amor!


"Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz a praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
dsitribuido sobre as coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito,
e a sede infinita."

Carlos Drummond de Andrad

Por Cris Ayres

O amor vem para cada pessoa de forma diferente e por isso é mágico e infinito.

A receita do amor é a liberdade, embora não se aplica a todas as pessoas.
Deixar livre este sentimento é o que faz com que ele prolongue por muito tempo.
Amar sem pedir nada em troca, somente amar.
Evite pressão.
Evite ciúmes .
Confiança é o alimento para o amor.
Quando ele é verdadeiro não deixa dúvidas.
Dêem as mãos e siga na mesma direção.
Tenham prática espiritual (não importa qual).
Sejam amigos verdadeiros e cúmplices
Ande na mesma direção.
Parem para olhar a Lua, o Sol e as Estrelas.
Tirem o foco do horizonte, olhe para todas as direções.
Brinquem e dancem.
Faça um jantar para comemorar os bons e maus momentos, todos fazem parte do amor!

Receita para um jantar

Entrada

Brusqueta de pão de mandioca sem glúten (pão Aminna)
2 tomates pelato picadinho sem semente
1/2 dente de alho bem picadinho
30 folhas de manjericão
3/4 de xícara de café de azeite de oliva extra virgem
sal a gosto
caldo de 1/4 de lima.

Aqueça o pão no forno e dê uma leve torrada, enquanto isso misture o restante dos ingredientes em um potinho.

Assim que o pão estiver pronto coloque esta mistura em cima do pão e sirva de entrada.

Inhoque de mandioquinha e ervas

500g de mandioquinha bem cozida e passada na peneira -  
130ml de creme de leite fresco temperatura quente
sal a gosto
75g de fécula de mandioca

Faça um purê homogêneo com a mandioquinha quente e acrescente o  creme de leite.
Desmanche a fécula de mandioca com pouca água
Misture tudo e leve ao fogo, coloque o sal e mexa até virar uma massa e desgrudar da panela.
Coloque a mistura numa manga de confeiteiro (a manga tem que ser aberta com a largura de um inhoque normal).

Separe um recipiente com água gelada e gelos e com a manga de confeiteiro vá colocando a massa no recipiente para dar um choque térmico, e assim,  ficar com uma textura mais firme.

Delicadamente tire a tira do inhoque da água fria e corte na espessura do inhoque.

Ligeiramente leve o inhoque em um recipiente com água quente, não ferva e deixe por muito tempo pode desmanchar.

Molho ao pesto

Ervas
½ maço de manjericão
¼ maço de manjerona
¼ maço de salsa
¼ maço de Cerefólio
1 xícara de chá de azeite de oliva extra virgem
50g de amêndoas
50g de castanha do Pará
Bata tudo no mix ou liquidificador.
Acrescente o molho no inhoque e sirva ainda quentinho.

Manjericão emblema do amor em Roma
Manjerona uma das ervas preferidas de Afrodite, a deusa do amor na mitologia grega. Por isso, esta erva teria o poder de adoçar a vida e trazer alegria para casais.
Salsa os poetas gregos acreditavam que a salsa aguçava suas faculdades criativas, paz e discernimento.
Cerefólio Trata-se de uma salsinha sofisticada, conhecida pelos romanos como “Erva da Alegria”.
Salsa os poetas gregos acreditavam que a salsa aguçava suas faculdades criativas, paz e discernimento.

Manjericão e uma receita da Toscana!


O manjericão de folha-larga (Ocimum basilicum L.; Lamiaceae), também conhecido apenas por manjericão, basílico ou alfavaca é uma planta cujas folhas são muito utilizadas como temperos; além, disso, é bastante apreciada como planta ornamental devido às suas flores.

Características: Originário da Índia, o manjericão foi introduzido na Europa na Antiguidade. Planta herbácea de caule ereto com folhas ovaladas e opostas e flores pequeninas e lilases, contém aroma marcante e sabor levemente picante e agradável. Muito utilizado na culinária italiana e francesa.
As diferentes espécies ou variedades de manjericão podem ser classificadas em função do aroma: doce, limão, cinamato ou canela, cânfora, anis e cravo e também a partir de características morfológicas da planta como: porte, formato da copa, tamanho e coloração da folhagem. O manjericão de cor verde é o mais conhecido, sendo as espécies com folhas avermelhadas mais raras e mais aromáticas.

Propriedades Fitoterápicas: Analgésico, anti-séptico, calmante, digestivo e diurético. Na medicina popular, o chá das folhas do manjericão é utilizado para aliviar as dores de garganta (gargarejo); em bochechos ajuda a cicatrizar aftas. Este chá atua ainda contra tosses, gripes, resfriados e crises de bronquite. Sendo um sedativo suave, pode ser usado para combater dor de cabeça, enxaqueca e gastrites. Recomendado nos casos de vômitos e dores de estômago. Tem ação sobre o aparelho urinário combatendo o ardor ao urinar e estimulando os rins. Compressas feitas com o chá também são indicadas para as lactantes que têm rachaduras no bico dos seios. A medicina natural utiliza o manjericão nas dietas sem sal, como tempero.
Curiosidade: Planta sagrada na Índia e no Egito, era o emblema do amor em Roma e o símbolo do luto na Grécia. Dizia-se aos soberanos que, somente eles, poderiam colher o manjericão com uma foice de ouro, de onde vem o significado de seu nome: "planta do rei". É costume colocar ramos de manjericão nas gavetas e armários para perfumá-los e repelir insetos. Sabe-se que o manjericão afasta as moscas. No século passado, os sapateiros utilizavam esta erva para atenuar o odor do couro.

Uso: É o principal ingrediente do molho “pesto”.  As folhas frescas de manjericão cortadas finamente com tesoura, picadas com a faca ou ainda esmagadas em pilão, perfumam e acrescenta personalidade aos pratos a base de tomates como: salada, molhos, pizzas, sopas, carnes em geral, peixes, lagosta, assados, legumes, risotos, ovos, sanduíches, queijos, azeites e vinagres. Utilize o manjericão no momento de servir, pois ele não suporta bem o cozimento. Para conservar o manjericão fresco você pode picá-lo e armazená-lo com um pouco de azeite. O manjericão não combina bem com vinagre e sim com óleo de oliva e suco de limão. Seu sabor complementa o da cebola e azeitonas pretas. Para conservar o manjericão fresco pique-o e guarde com um pouco de óleo de oliva. Use somente no final do preparo para não perder o sabor e preservar o seu aroma.

Receita de Molho de Manjericão - Toscana 
Ingredientes:
1 maço de manjericão picado ou com folhas inteiras.
5 dentes de alho esmagados
1 colheres de chá de sal grosso
2 kilos de tomate pelato
1 cebola picada
baste de azeite extra virgem
pimenta do reino

Coloque o tomate para cozinhar sem sementes com 1 litro de água e deixe reduzir, vá acrescentando água até o tomate cozinhar bem.
Passe o molho em uma peneira e separe. Este processo pode demorar em torno de 3h (lembre que o molho italiano demora para apurar).
Em uma panela coloque o alho para dourar com um pouco de óleo girassol, depois de bem dourado acrescente as cebolas e faça o mesmo processo.
Volte o molho de tomate na panela com os temperos e acrescente mais 1 1/2l de água e o sal, deixe reduzir até o molho ficar com uma textura bem pastosa.
Acrescente o azeite, o manjericão e a pimenta do reino.

E esta pronto o molho que aprendi a fazer na toscana com a Angela uma amiga muito especial.

Sirva com uma massa de sêmola sem ovos.

Fica maravilhoso!
Pode acompanhar uma taça de vinho tinto seco!
Um brinde!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Torta de Banana sem Glúten


Ingredientes

2 colheres de sopa de açúcar demerara
12 bananas (a qualidade que preferir)
200g de castanha do pará
200g castanha de cajú
200g de amêndoas
200g de nozes
1 colher de sopa de canela em pó
250ml de água
                       

Modo de preparo
Processar as castanhas e nozes no liquidificados ou processador de alimentos até formar uma farofa, coloque em um refratário as bananas (cozidas previamente na água por 7 minutos) e polvilhe com açúcar, canela. Cubra com a farofa e acrescente água e vá apertando a farofa até preencher todos os espaços entre as bananas e depois coloque o restante até cobrir as bananas e acrescente mais água
Leve ao forno a 180º durante 20minutos

Dicas
Se não quiser utilizar a água, substitua por suco de uva integral (orgânico).
Pode misturar com a canela, um pouco de cardamomo.
Se quiser dar um gostinho diferente acrescente erva-doce.
Não use como sobremesa, mas como um lanche entre as refeições ou na hora da ansiedade.

Banho de ervas para purificação e harmonia do corpo, da mente e da alma!


Hoje percebi algo no ar.
As pessoas que encontrei na rua estavam introspectivas e cabisbaixas, mas pode ser que esta seja uma percepção de como eu estou.
Acredito que essa mudança repentina do tempo mexe conosco. Pela manhã um sol maravilhoso e a animação, mas à tarde mudou tudo, entrou um vento sudoeste (que traz um pouco de turbulência e desconforto) e como somos parte da natureza, este estado acaba nos influenciando.

Resolvi então preparar um banho para combater este estado desarmônico, escolhi ingredientes que podemos ter na nossa cozinha neste momento e usufruir de suas propriedades.

Vamos preparar o banho.

Vá a sua cozinha e separe em um potinho dois punhados de sal marinho refinado.

Em uma vasilha coloque 2 litros de água no fogo.

Vamos utilizar

Banho Laranja

2 Tangerinas ou 2 Laranjas (utilize a casca de duas frutas)
5 Cravos

Banho Verde

1 Galho Alecrim ou uma colher cheia de Alecrim seco
1 Maço de Manjericão

Separe a água em 1 litro para cada receita acima.

Faça os chás para o banho em infusão e depois acrescente 2 litros de água morna.

Agora está tudo pronto?

Molhe o corpo e pegue o sal do potinho que separamos, vá fazendo uma esfoliação no corpo todo, com toque leve, não se preocupe ele não agride a pele.
Ah, esta esfoliação conta com um punhadinho em cima da cabeça e massageie. O sal refinado marinho, não tem a mesma propriedade do sal grosso para a limpeza energética. O sal marinho harmoniza os canais energéticos do corpo, por isso pode ser utilizado na cabeça..

Agora se enxágue com água abundante e inicie seu banho com sabonete, xampu e creme.

Utilize primeiro o Banho Laranja da cabeça aos pés e em seguida o banho Verde da mesma forma.

Espere uns minutinhos e tome uma ducha bem forte e relaxante.

Pronto agora se sentirá leve e feliz!

Tangerina – Atrai vibrações positivas. Traz auto-confiança, otimismo e alegria.

Cravo-da-Índia – Revitaliza o corpo dando-lhe vigor físico e coragem. Neutraliza a tristeza e a mágoa. É um maravilhoso afrodisíaco. Traz prosperidade e aumento de ganhos materiais.

Alecrim – É um revitalizandte natural, exercendo uma ação de proteção. Purifica o astral do corpo e estimula a mente.

Manjericão - Resgata, de fato, o movimento com a vida, purifica e traz felicidade.

Sal – Limpeza, suavidade e relaxamento

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Ayurveda e Nemo - uma forma divertida de entender os doshas! Vale a pena.






Quando foi lançado o desenho Procurando Nemo,  em  2003, estava estudando ayurveda há 4 anos. Parece muito tempo, mas estava somente no inicio de uma grande viagem. Como sempre, uma fã de desenhos e então da Pixar, nem se fale, sempre achei o contexto das histórias bem interessantes e enriquecedoras. Não posso deixar de lembrar da Boo do Monstros S.A. uma fofa que me conquistou, sempre escutamos sobre os monstros dos armários, mas com toda sua pureza, fez de um monstro um amigo, não enxergava maldade e essa é a pureza da criança sem interferência.

Mas voltando ao Nemo e ao cinema, compro meu ingresso e vamos para uma nova aventura da Pixar!

Primeiro aquele alvoroço de crianças e eu no meio, muito bom. Mas daí a coisa começou a ficar mais séria que um desenho. Esqueci um pouco da pureza do desenho e comecei a ter olhos analíticos.

Primeira coisa que pensei, esse desenho é “ayurvedicamente correto”  e quem fez só pode ter conhecimento dos doshas e do ayurveda, não é possível. Mas como assim?!

Vamos relembrar a história, Marlin, um peixe-palhaço que perde quase toda a família durante o ataque de um predador (uma barracuda), e assim, torna-se um pai super-protetor de seu único filho, Nemo. O problema é que tanta proteção acaba envergonhando o peixinho na frente dos colegas, e para provar ao pai que pode se virar sozinho resolve nadar em mar aberto, TIPICAMENTE REAÇÃO DE UM PITTA QUANDO É CONTRARIADO. O Pitta, é o elemento fogo e ar, é quente decidido, tem muita fome, e adora o sabor picante, alias tudo que é picante é com ele mesmo.

Nemo alem de ter o mental Pitta, tem o corpo mediano, laranja e adora a anêmona, que queima. Aliás ele precisa dela, um peixe-palhaço não vive sem a sua química, faz parte de sua essência e do ecossistema , geralmente o Pitta não tem medo de se atirar em situações e enfrentar as coisas sem pensar muito. E nessa decisão que Nemo teve, ele se atirou tanto que foi até capturado por um pescador, e levado para Sydney.

Decidido a encontrá-lo, Marlin (seu pai) nada por todo o oceano, enfrentando todo tipo de perigo ao lado de Dory, um peixinho-fêmea muito simpático, mas com um grave problema de perda de memória recente. UM VATA AGRAVADO NÃO É?  O Vata agravado se tornam muito confusos, memória confusas, se perdem na sua própria fala, troca o nome das coisas e pessoas. Quem lembra ela chamando o Nemo, Kemo, Emo..e o pai do Nemo o Marlyn de Fernando, fácil a identificação, alguém lembrou? E O biótipo, esguia, comprida, e azul uma cor tipicamente fria ( ar e éter), mal se lembrava de se alimentar ou que havia comido algo.
Após muita aventura eles encontram muitas tartarugas e uma delas “tartaruga marinha totalmente zen” resolve ajudar, mas como elas são pesadas grandes, robustas resolvem nadar numa corrente marítima, para não ter muito esforço, aqui esta um KAPHA. O Kapha ele é mais letárgico, pesado, fala manso, calmo, pensa antes de falar, fala pouco e é certeiro e não perde uma oportunidade de conforto.

Mas o destino de Nemo é ser presenteado à sobrinha do dentista, Marla, uma criança psicótica( ruiva e com muitas sardas, que entre outras coisas, costuma chacoalhar o saco plástico onde estão os peixes até matá-los. ( O PITTA MAIS DESEQUILIBRADO DO DESENHO) A presença de Marla é hilariamente caracterizada com o fundo musical do tema de Psicose, de Hitchcock.( O QUE VOCÊS ACHAM?)

Nesta deliciosa aventura no fundo do mar, todos os tipos de criaturas marinhas dão o ar da graça. Peixes de todas as espécies, cavalos-marinhos, tubarões, águas-vivas, tartarugas, baleias e afins. Todo o colorido da fauna e flora subaquática contagia e seduz o espectador.

Agora vale a pena assistir, Nemo aprisionado em um aquário em Sydney com seus novos amigos e nessa aventura no aquário descubra qual o dosha dos peixinhos.


Bom filme e não esqueça, a pipoca tem que ser feita com Ghee e Curcuma. ( ayurvedicamente correto) !

CONSULTA E ANÁLISE AYURVEDA


A Consulta Ayurveda consiste em mapear o estado de saúde do individuo e traçar terapias especificas. 

Na primeira consulta é definido  biotipo original (dosha em prakruti), mapa de desequilíbrio (doshas em vikruti), avaliação energética, orientações alimentares, indicação de ervas, terapias corporais, programa de desintoxicação, jejum terapêutico e recomendação da rotina diária.  
Define-se também as doenças de gerações de ascendência (materna e paterna) para que seja feito o preventivo da doença.

Os tratamentos podem ser de curto a longo prazo.

O Diagnóstico é feito pelo exame do pulso, exame da língua, leitura dos traços de saúde da mão, leitura dos olhos e exame de urina.

Tratamentos (alguns)
  • Redução de toxinas,
  • Emagrecimento,
  • Estresse,
  • Problemas digestório, hormonal,
  • Constipação,
  • Enxaqueca,
  • Problemas do Feminino – Climatério | Monopausa e Pós-menopausa| Dificuldades Menstruais | TPM,
  • Depressão,
  • Correção alimentar para distúrbios como: Obesidade e Anorexia
  • Rejuvenescimento
  • Terapias de Prevenção
Agende seu horário!

Atendimento
Leblon
Barra da Tijuca
Ilha do Governador
São Paulo

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Breve História do Banho | Receita - Banho Revigorante.


Quando ouvimos falar sobre a história do banho, logo nos vem em mente Cleópatra, mas pasme, a ciência descobriu que o banho foi descoberto antes mesmo da pré-história ( Idade da Pedra , do Bronze e do Ferro). Materiais saponificastes anteriores foram encontrados em cilindros escavados nas ruínas da antiga Babilónia. As inscrições indicavam que o material era utilizado para limpeza dos cabelos e para auxiliar a confecção de penteados.

Os antigos egípcios também banhavam-se bastante: os Papiros de Ebers, datados de 1.500 a.C., descrevem uma mistura de diversos sais, ervas e óleos utilizados para higiene pessoal.

Já na história da civilização Ocidental, coube aos Romanos a difusão do hábito. Os primeiros Banhos Romanos foram construídos 300 anos A.C.

Roma contava com mais de 13 aquedutos para manter seus habitantes sempre limpos. Contudo, com o declínio do Império, os Banhos também perderam gradativamente a popularidade.

Na Idade Média, os médicos desencorajavam o banho, afirmando que ele retirava as camadas mais protetoras da pele, aumentando o risco de doenças, porque como todo mundo sabe, essa excelente ideia de higiene pessoal daquele tempo foram dar: numa Peste que dizimou quase metade da população da Europa.

Mas a história que mais nos chama a atenção é a de Cleópatra. Ela utilizava os conhecimentos das ervas, óleos e flores para preparar seus banhos, e tudo de acordo com o objetivo que ela queria atingir. Alguns banhos eram preparados com seiva de plantas aromáticas e leite durante várias horas. Por isso os banhos ficaram célebres e aconselhados para a beleza.

A História há um pouco mais de 500 anos.
Com a chegada dos portugueses e espanhóis no Brasil, percebeu-se que os povos indígenas já tinham o hábito de tomar banho diariamente. Essa prática fazia com que nas tribos não houvesse nenhum tipo de doenças e contaminação. Eles conheceram as pestes e doenças após a chegada das caravelas.

Algum tempo depois da colonização do Brasil (há controvérsias, pois havia indícios de outros povos que viveram no Brasil e mais preciso na Amazônia – são eles os Incas e os Maias), vieram povos fugidos das guerras, dentre eles os Italianos. Para quem tem ascendência italiana, vai entender o porquê citar aqui.

Entre os Italianos que seguiam as tradições familiares, mesmo após a queda do Império Romano, continuavam a manter o uso de banhos e ervas.
Quem teve a oportunidade de ter um banho preparado de ervas por uma avó, bisavó? Se a resposta for positiva, reparem se não trouxeram esta cultura de fora do nosso país. Porém, claro, foi aprimorado ao ver a cultura dos índios brasileiros, que infelizmente hoje há poucos relatos de tribos que tem sua cultura  pura sem interferência.

Mas voltando aos banhos, aqui vou deixar uma receitinha de banho revigorante, mas lembre, você também pode preparar seu banho usando sua intuição. Vamos colocar nossa sabedoria ou de nossos antepassados em prática.

O Banho

1 Litro de água
2 Galhos frescos de Alecrim
2 Paus de Canela
5 Folhas de Louro
1 Maço de Hortelã
Ferva a água com todos os ingredientes e separe
Pegue um recipiente grande que caiba mais 5 litros de água (morna) e despeje o chá.

Tome banho com um bom sabonete e bucha vegetal. Desligue o chuveiro e despeje o banho de ervas da cabeça aos pés.

Alecrim – É um revitalizandte natural, exercendo uma ação de proteção. Purifica o astral do corpo e estimula a mente.
Louro – É uma erva excelente para prosperidade, física, mental, intelectual e espiritual.
Canela – Aromática, e segundo a antiguidade, atrai sorte e prosperidade, além de aquecer o corpo nesse friozinho.
Hortelã - É uma erva refrescante e revigorante, simultâneamente estimulante e sedativa. Clareia a mente, combatendo pensamentos negativos. Favorece a autoconfiança, desbloqueio energético e traz sabedoria.
Bucha vegetal – Ajuda a remover as células mortas da pele, estimula o sistema linfático e circulatório

Esse era um banho que minha avó preparava para nós, após muita brincadeira com os amigos nas tardes de férias.

Saudade das minhas avós!

Um bom banho e não esqueça, se aqueça com um cházinho da erva que preferir.

Cris

Cardamomo | Receita | História


O cardamomo é originário da costa do Malabar, na Índia mas também pode ser encontrado na Guatemala e no Ceilão.

Seu nome cientifico (Elettaria cardamomum) é uma árvore de grande porte, pertencente à família das zingiberáceas, a mesma do gengibre, com folhas grandes, flores brancas e frutos secos de coloração esverdeada. As sementes de cardamomo têm cor negra e nascem dentro de finas e delicadas vagens verdes claras, há sementes de cor marrom escura , mas todas com um aroma muito intenso canforado, quente e penetrante,  seu sabor é adocicado, adistrigente e picante.

O que usualmente conhecemos são os frutos que dão sabor à comida e serve para aliviar a intolerância de que sofrem algumas pessoas (especialmente as crianças) ao glúten nos cereais, desordens de sistema digestório, retenção de toxinas e hídrica.

Os romanos utilizavam-no para curar doenças urinárias, como descongestionante estomacal e para emagrecer, se não sabia, agora pode fazer uso desta especiaria tão especial, o cardamomo emagrece! E não é só, ele têm muitas  propriedades curativas, entre elas: antiséptica, digestiva, diurética, expectorante e laxante. Regula o metabolismo, ajuda a amenizar a artrite e é um bom suplemento para os diabéticos.

Seu uso fortalece o coração e os pulmões. Também alivia gases. É um atenuante para dor e um aguçador para mente. Abre a respiração e refresca o hálito
A semente de cardamomo contém: proteína, água, óleo essencial, carbo-hidratos (hidratos de carbono) e fibra.

Curiosidade - Egípcios e  gregos usavam-na frequentemente, pois sua versatilidade é enorme. O cardamomo chegou à Europa pela rotas das antigas caravanas que faziam o caminho das Indias atraz de especiárias e rapidamente integrou o sofisticado trio das especiarias mais caras da atualidade, ao lado do açafrão ( curcuma em pestilho)e da baunilha. Os escandinavos e os russos usam cardamomo na confeitaria e os alemães adicionam-na a frios e ao escabeche de arenque
De sabor exclusivo, refrescante e quente ao mesmo tempo, algo cítrico, um pouco doce, suavemente amargo é usado para aromatizar pratos doces e salgados, carnes e peixes, compotas, chás e cafés.


Muito usadas no Oriente Médio e na Índia, sendo componentes imprescindíveis do Curry e do Garam Masala. O Garam Masala é um grande tempero, ou melhor, uma equilibrada mistura de temperos aromáticos que varia de região para região e até de família para família. Em outros posts vou ensinar as receitas de duas massalas de Garam, cada uma de uma região específica da India.
O Cardamomo puro pode ser utilizado em chás e café. Segundo o Ayurveda ele elimina as toxinas do café, por ter qualidade satvica.

Pela manhã poderá optar por chá de cardamomo em jejum, ele ajuda na limpeza do sistema digestório.

Atenção: Não deve ser consumido em altas doses, pois pode provocar vômitos.

Cardamom Masala 

Ingredientes:
        5 pimentas malaguetas inteiras
        5 cardamomos inteiros *
        4 cravos
        1 pedaço de 5cm de canela em rama
        1 colher de sopa de ghee
        1 colher de chá de coentro
        1 colher de chá de coco ralado
        ½ colher de chá de cominho

Preparo: numa panela aquela o ghee e frite o coco ralado por 5 minutos. Reserve. Na mesma panela aqueça as pimentas e o coentro por 3 minutos, acrescente os cravos, o cominho e a canela e aqueça por mais 2 minutos. Reserve até esfriar. Moa todos os ingredientes a guarde em pote hermeticamente fechado por 02 meses.
Uso: tempere batata inglesa, batata doce, inhame, ervilha, grão de bico, mandioca, beterraba e cenoura para obter um aroma exótico e requintado, porém muito quente devido às pimentas que ele contém.

*4 sementes inteiras equivalem a ¼ colher de chá de cardamomo em pó.


Fonte: Regina Pavan, Caraka Saṃhitā
Texto Cris Ayres

domingo, 7 de agosto de 2011

Jiló | Receita | Curiosidade


Quando falamos em jiló, a primeira coisa que observamos é rejeição deste alimento, rara as vezes encontramos alguém que goste. Saiba a importância que ele tem para a saúde.

Aqui vamos utilizar uma receita tipicamente ayurveda, com frutos da nossa terra, valorizando o que nosso solo nos oferece.


Curiosidade: é considerado como um legume, porem o jiló, é na realidade o fruto de uma planta da família das solanáceas, tal como a berinjela. sua origem é desconhecida, mas é muito abundante na África e no Brasil.   
Terapeuticamente, o jiló é recomendado como um estimulante do metabolismo hepático e um regulador digestivo e também propriedades antidiarréicas e mineralizantes. Pode ser utilizado para amenizar estados febris, gripes e resfriados.
Por ser um fruto amargo é muito bem vindo na alimentação que combate os efeitos negativos de Pitta.

Benefícios: Uma razoável fonte de carboidratos e proteínas, boa fonte de minerais como cálcio, fósforo e ferro e boa quantidade das vitaminas A, C e do complexo B

Possui um gosto muito amargo, quando feito somente com sal, cebola e alho, o Curry melhora o gosto amargo e sobressai seus nutrientes.
Jiló ao Curry
Ingredientes:

5 Jilós
1 colher de sopa de gengibre fresco ralado
1 colher de sopa rasa de Ghee sólido
1 colher de café de curry
Sal a gosto

Preparo:
Partir os jilós ao meio e reservar. Aqueça o ghee, adicione o gengibre e refogue por 5 minutos. Junte o curry, misture e deixe apurar por dois minutos.
Com a base voltada para baixo, coloque os jilós sobre o refogado, salpique sal a gosto e adicione 3 colheres de sopa de água. Deixe dourar em fogo baixo e sempre que a água secar, complete com um pouco mais, até que os jilós estejam macios. Vire o outro lado, para que cozinhem.

Espero que gostem deste novo sabor!

Cris

Receita | Curry Massala


Características: Mistura de especiarias, originária da Índia, tem sabor picante, adocicado, especialmente agradável e marcante, realça o sabor dos alimentos.

Ingredientes:
250 gramas de coentro
100 gramas de pimenta calabresa
1 colher de sobremesa de pimenta do reino
10 g de cúrcuma
¾ colher de sobremesa de sementes de cominho
11 pedaços de canela em pau
43 unidades de cravo da Índia
12 unidades de cardamomo
1 colher de chá de azeite para assar

Preparo: Aqueça o azeite numa panela grossa e asse bem os chillis. Retire-os do azeite e crescente o coentro e as sementes de cominho. Retire a panela do fogo. Coloque a pimenta e quando aquecer retire da panela e misture os ingredientes quentes como o cúrcuma, cravos, canelas e cardamomos. Moa os ingredientes ainda quentes. Peneire e mantenha em recipiente hermeticamente fechado.

Uso: sopas, molhos, arroz, queijos, caçarolas, ovos, legumes, batatas, vegetais e canapés.

Se você quer aprender mais sobre especiarias, ervas e alimentação, mande e-mail para cris_ayres@ayurelements.com

Aguardo você!
Cris

terça-feira, 2 de agosto de 2011

(Caraka: Vimãna 8:14)



"O sábio considera o universo inteiro como seu preceptor. Apenas o insensato encontra inimigos nele. Você deve, portanto, aceitar sem hesitação o conselho apropriado que pode vir de qualquer parte, mesmo de um inimigo, e segui-lo."

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Saúde com Sabor | Vitória Azevedo | Ilha do Governador

workshop prático de culinária vegetariana e ayurveda

O objetivo deste workshop é preparar e degustar refeições saborosas, nutritivas e práticas para o dia-a-dia. Serão utilizados alimentos orgânicos (dentro do possível) nas preparações.
Será oferecido por Vitoria de Azevedo, arquiteta, proprietária da Samuel Hahnemann Farmácia Homeopática, meditadora, vegetariana e dona de casa que preza o sabor aliado à saúde na mesa. Além de participar de vários cursos de culinária, Vitoria tem o hábito corriqueiro de colocar em prática os pratos aprendidos e criar novos.

Data: 27 de AGOSTO, sábado, das 9:30 às 15:30h

Local: Estrada da Cacuia, 1269 - fundos - Cocotá - Ilha do Governador - Rio de Janeiro

Investimento: R$ 120,00 - inscrições com desconto até o dia 19 de agosto 

Vagas limitadas

Será fornecida apostila com receitas.

Mais informações, não hesite em nos contatar.
Grata,
Vitoria de Azevedo
Samuel Hahnemann Farmácia Homeopática
8868-3616